História da Arte Circense

lona

Pode-se dizer que a arte circense é uma manifestação cultural que pode ser desfrutada por todos. Isso porque, ela pode ser vista em apresentações feitas por artístas amadores, que encenam seus espetáculos em praça pública em busca de um trocado ou apenas um sorriso. Como também pode ser contemplada em grandes apresentações, de âmbito internacional com artístas profissionais e altos investimentos de produção.

Seja nos becos ou em uma confortável cadeira de teatro, é fato que o circo está ao alcance de todos. Mas você sabe onde e quando ele começou? O Yahoo! Respostas sauda o seu respeitável público e convida a todos para viajar pela história do circo. Que comece o espetáculo!

Conhecida como uma das manifestações artísticas mais antigas, a arte circense teve inicio com povos itinerantes, de diferentes localidades e culturas. Estima-se que seus primeiros registros tenham sido encontrados na China, no ano 4000 a.C, com pinturas de acrobatas contorcionistas e equilibristas. Naquela época, exercícios de acrobacia eram utilizados pelos guerreiros, pois faziam com que adquirissem força, agilidade resistência

Assim como na China, pinturas que representam as primeiras manifestações da arte também foram encontradas nas pirâmides do Egito. Além dessas duas regiões, a Índia também contribuiu para o circo, com cerimônias sagradas onde eram mostrados números de contorção e saltos.


palhaço

Pode-se dizer que na biografia da arte circense, a Europa merece um capítulo à parte. Isso porque foi nesse continente que a popularidade dos espetáculos deu um salto no trampolim da história. Na Grécia, demonstrações de força e resistência, serviam de matéria prima para as apresentações, onde os atletas se situavam no centro de uma arena, enquanto o público assistia às demonstrações de movimentos incomuns. Na mesma época, surgiram os primeiros palhaços, conhecidos como sátiros, que já encantavam o povo com humor.

Os anfiteatros de Roma também eram os locais que abrigavam as apresentações de habilidades que poucos conseguiam executar. Porém com a decadência do Império Romano os artistas que viam na arte uma alternativa para ganhar alguns trocados passaram a fazer suas apresentações nas ruas, praças públicas, igrejas e feiras. Fazendo jus ao conceito de trupes itinerantes.

De maneira peculiar, a Inglaterra não apenas deixou sua marca na história, como também criou o conceito de circo como conhecemos. O precursor da mudança não fazia palhaçadas, tampouco arte e nem mesmo contagiava o público com humor. Diferente de tudo ligado as manifestações mambembes, Philip Astely era ex-sargento auxiliar de cavalaria e talentoso treinador de cavalos.

No entanto, Philip tinha esperteza e pensamento astuto. Ciente de que o público inglês se reunia em locais públicos para ver a apresentação de homens que conseguiam ficar em pé, em cima de dorsos de cavalos, ele se acometeu desse espetáculo e passou a exibi-lo em uma arena fechada. Fazendo com que as pessoas conseguissem se acomodar ao redor da performance e também pagando para assistir. Com o passar do tempo, as lonas do circo começaram a abrigar os espetáculos que eram apresentados na rua.

criancaNo Brasil, famílias e coletivos de ciganos migrados da Europa já demonstravam suas habilidades em praça pública domando animais selvagens, fazendo truques de ilusionismo e se apresentando com cavalos. Migrando sempre para onde o vento soprasse e encantando a plateia que assistisseAs teorias para explicar a origem da arte do circo são tantas quantas as palmas que arrancam do público depois de uma apresentação, de maneira que não se pode afirmar com exatidão a data e o local específico onde o espetáculo começou. No entanto, essa dúvida não deve ser vista como uma carência na história, e sim como prova de que ela é milenar e universal. Composta de diferentes culturas e características, a identidade circense mostra uma surpresa diferente cada vez que a lona é puxada.


Comente!

obrigatório
obrigatório, não divulgado